Sunday, September 30, 2012

'Streifzüge in Amazonien', um texto pouco conhecido de Nimuendajú

por Peter Schröder*

Streifzüge in Amazonien” é um artigo pouco conhecido de Nimuendajú, talvez porque o próprio periódico onde foi publicado não existe mais. O Ethnologischer Anzeiger (‘diário etnológico’), hoje em dia quase esquecido, existiu de 1928 a 1944 e teve como editores Martin Heydrich (1889-1969) e Georg Buschan (1863-1942).

Em comparação com outros periódicos etnológicos de língua alemã, como o Anthropos ou a Zeitschrift für Ethnologie, o Ethnologischer Anzeiger nunca ganhou muita influência no cenário institucional da antropologia alemã. No entanto, Robert Lowie chamou a atenção para o periódico em duas pequenas resenhas no American Anthropologist, 29(3), 1927, p. 339-340 [PDF] e 32(4), 1930, p. 661 [PDF].

Provavelmente o artigo foi redigido por sugestão de Fritz Krause (1881-1963), diretor do Museu Grassi em Leipzig, com o qual Nimuendajú manteve correspondência desde abril de 1927, como indica uma carta datada de 27 de junho de 1929 (SES, Leipzig, 1929 / 71, Krause 700 [27.06.1929]) e enviada depois de Nimuendajú ter finalizado uma expedição financiada pelos museus etnológicos de Leipzig, Dresden e Hamburg:

Para o Ethnologischer Anzeiger, o qual é editorado pelo Sr. Dr. Heydrich, diretor do Departamento Americanista do Museu de Dresden e no qual também se publicam, além de revisões bibliográficas e resenhas, sobretudo comunicações sobre expedições científicas e assuntos semelhantes, recomendar-se-ia fornecer uma sinopse sobre o decurso de sua viagem e suas pesquisas em cada uma das tribos indígenas (talvez no tamanho de uma a duas páginas de texto). (tradução: P.S.)

Contudo, Nimuendajú não escreveu nada sobre sua expedição aos Apinayé e Canela, de setembro de 1928 a maio de 1929. Em vez disso, elaborou um relato resumido sobre as expedições realizadas de 1922 a 1927 para o Museu Etnográfico de Gotemburgo (Göteborgs Etnografiska Museum), como também sobre algumas atividades para o SPI. Foi, afinal, depois de não mais receber apoio financeiro do museu sueco que se iniciaram os contatos com Krause por intermediação do etnólogo suíço Felix Speiser (1880-1949).

No artigo, Nimuendajú resume, em ordem cronológica, todas as expedições arqueológicas e etnológicas empreendidas naquele período: nas regiões dos rios Tapajós e Madeira, Nhamundá e Trombetas, na Ilha de Marajó e no Alto Rio Negro. Em termos gerais, as informações são as mesmas que podem ser encontradas nas cartas para Carlos Estevão de Oliveira, traduzidas, editadas e publicadas por Thekla Hartmann em 2000 (Cartas do Sertão de Curt Nimuendajú para Carlos Estevão de Oliveira. Lisboa: Museu Nacional de Etnologia/ Assírio & Alvim, p. 35-113), porém as descrições são mais genéricas. Parece ser um tipo de auto-avaliação de seis anos onde são resumidos os ‘sucessos’ e ‘fracassos’.

A linguagem é sóbria, como a de um “artífice honesto e diligente” (para usar uma expressão de Herbert Baldus para se referir ao etnólogo alemão Max Schmidt), ou seja, sem arabescos estilísticos tão rebuscados em textos acadêmicos atuais. Afinal, Nimuendajú não era acadêmico e não queria impressionar ninguém, já que galicismos e alusões a filósofos franceses ainda não faziam parte do ‘capital simbólico’ antropológico.

O artigo foi traduzido por Thekla Hartmann e publicado com o título “Excursões pela Amazônia” na Revista de Antropologia, São Paulo, vol. 44(2), 2001, p. 189-200. No entanto, o mapa e as cinco fotos no anexo não foram reproduzidos na versão brasileira. 

* Peter Schröder [perfil] é professor do Departamento de Antropologia e Museologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Pernambuco.

7 comments:

  1. good work..
    this is very useful for me and i really happy to visit your blog..
    thanks alot..
    abogados de bancarrota en el norte de virginia

    ReplyDelete
  2. Streifzüge in Amazonien" translates to "Forays in the Amazon," and it's a lesser-known exploration or documentation piece about the Amazon rainforest. While details might be limited, such works often delve into the rich biodiversity, indigenous cultures, and the environmental significance of the Amazon.
    a href="https://srislawyer.com/motorcycle-accident-lawyer-virginia-motorcycle-accident-attorney/">motorcycle accident lawyer near me
    contract dispute

    ReplyDelete
  3. "Streifzüge in Amazonien" offers a lesser-known glimpse into the work of Nimuendajú, shedding light on his explorations in the Amazon region. This text delves into his experiences and observations, providing valuable insights into the indigenous cultures and natural environment of the Amazon. Nimuendajú's meticulous documentation and ethnographic research contribute to a deeper understanding of the diverse peoples and rich biodiversity of the region. For scholars and enthusiasts alike, "Streifzüge in Amazonien" presents a fascinating opportunity to engage with Nimuendajú's lesser-known contributions to anthropology and exploration. abogado de divorcio en nueva jersey





    ReplyDelete
  4. Ethnolinguistics" suggests an academic focus on linguistics and ethnography, possibly exploring the intersection between languages ​​and cultures. The title indicates an interest in studying and understanding linguistic diversity in specific cultural contexts. This may be an interesting resource for students and researchers interested in questions of language and culture around the world. virginia beach personal injury attorney

    ReplyDelete
  5. "Streifzüge in Amazonien" unveils a hidden gem within the literary landscape, offering readers a captivating journey into the depths of the Amazon through the eyes of the enigmatic Nimuendajú. Despite its relative obscurity, this text proves to be a treasure trove of ethnographic insights and firsthand accounts, shedding light on the rich tapestry of indigenous cultures and biodiversity that characterize the Amazonian region.
    Abogado de DWI en Orange

    ReplyDelete
  6. Etnolinguistica offers a captivating journey into the intricate tapestry of language and culture. Through meticulous research and engaging narratives, it unveils the profound connections between language, identity, and society. With insightful analyses and thought-provoking discussions, it expands our understanding of linguistic diversity and its implications for humanity. A must-read for anyone intrigued by the rich complexities of human communication and the vibrant mosaic of global cultures reckless driving virginia first offense

    ReplyDelete